Comment are off

Barão de Mauá lança curso de Mandarim

 

A CHINA
DESCOBRE
O BRASIL

CONQUISTA DE TERRITÓRIO

Os Principais negócios realizados no Brasil por empresas de capital chinês

CEARÁ  A segunda maior companhia de telecomunicações da China planeja instalar um cabo submarino de fibra óptica que ligará Fortaleza (Brasil) a Camarões (África)

GOIÁS Arrematou em leilão a usina hidrelétrica de São Simão por 7 bilhões de reais

MARANHÃO Construirá um terminal no Porto de São Luis

MATO GROSSO Em Lucas do Rio Verde, adquiriu o controle da Flagril, produtora de sementes, insumos e biodiesel, por 700 milhões.

MINAS GERAIS Em Pouso Alegre, a maior produtora de máquinas pesadas da China instalou a sua fábrica no Brasil.

PARÁ Venceu o leilão de construção do linhão de Belo Monte, que conectará a usina a outras regiões do País.

PARANÁ Comprou usinas antes pertencentes à Duke Energy por mais de 3 bilhões de reais.

SÃO PAULO Assumiu o controle da CPFL Energia, comprando a parte acionária da Camargo Corrêa e de fundos de pensão por 40 bilhões de reais.

Podem ficar com a linha 6 do Metrô, assumindo a parte de Odebrecht, Queiroz, Queiróz Galvão e UTC no projeto.

Comprou a construtora Concremat por 350 milhões de reais.

Assumiu o controle acionário do aplicativo de transporte 99.

A maior empresa de sementes da China comprou a operação da americana Dow no Brasil por 3, 5 bilhões de reais.

Comprou a participação da Andrade Gutierrez e da Camargo Corrêa no projeto de captação e tratamento de água no sistema São Lourenço.

Adquiriu a Unicoba, uma das maiores fornecedoras de baterias para celulares e notebooks no Brasil, por 145 milhões de reais.

Em Jacareí, a montadora construiu uma fábrica com capacidade de produção de 100.000 veículos por ano, num investimento que somou mais de 1 bilhão de reais.

Barão de Mauá lança curso de Mandarim

O Brasil está na mira dos investimentos chineses e seus profissionais, em diversos segmentos de atuação, têm que se preparar para o relacionamento com esse país e todas as diferenças culturais envolvidas.

Diferentemente das ondas migratórias anteriores, que trouxeram chineses para o Brasil, o momento migratório atual é composto por executivos de grandes corporações, engenheiros e jovens empreendedores que chegam em busca de negócios.  O capital de origem chinesa liderou a aquisição de empresas no Brasil nos últimos dois anos. Em 2017 a China foi o país que mais fusões e aquisições fez, com 10,7 bilhões de dólares, acima de países como Canadá, Estados Unidos, México e Noruega.

Em um cenário como esse, que acena com negócios ainda mais promissores para os dois países, não é possível fechar os olhos para a necessidade de adequação de nossos profissionais às demandas que se oportunizam. Em São Bernardo, empresas nacionais e multinacionais se movem em busca de capacitação de seus técnicos e executivos para o relacionamento com o distante país asiático, cada vez mais próximo e envolvido com o mercado brasileiro.

Pensando nisso, no dia 07 de abril o Instituto de Ensino Barão de Mauá vai iniciar a realização do curso de Mandarim, aberto à população em geral, alunos ou não alunos a partir de 14 anos, pais e executivos ou profissionais interessados em conhecer a cultura chinesa e seu idioma peculiar. Este curso, inovador na cidade de São Bernardo, resulta da parceria com o Nin Hao Centro de Idioma e Cultura que segue o padrão internacional estabelecido pelo governo chinês. Seus professores são chineses que falam português e o curso foi pensado considerando o perfil e características do brasileiro.

A China

A China é berço de uma das civilizações mais antigas no mundo com uma história de mais de 5 mil anos. Durante esse período, criaram-se diferentes costumes, arte, culinária, crenças e celebrações que ao longo do tempo foram se mesclando e desenvolvendo por toda vasta região que abriga as terras da China que conhecemos hoje.
As diferentes províncias e as 56 etnias diferentes, cada qual com suas tradições e manifestações, formam um variado, sofisticado e rico mosaico cultural. A mescla de culturas regionais resulta no que conhecemos em termos gerais como “cultura chinesa” manifestada em diversas formas.

Idioma

Quando nos referimos ao idioma “chinês”, nos referimos ao “mandarim” que é a língua oficial do país e idioma mais falado no mundo, com mais de 900 milhões de praticantes. Serve de língua mãe aos falantes de diferentes regiões, cada qual com seu dialeto local, de toda a China. Pela sua importância e alcance, é um dos seis idiomas oficiais da ONU.

Há centenas de dialetos falados por toda China agrupados por semelhança em 10 principais “grupos” que prevalecem em suas regiões geográficas. Além do Mandarim, há: Wu & Hui (região em torno de Xangai), Yue (Cantonês, região Guangdong e Hong Kong), Hakka & Min (região sudeste incluindo Fujian e Taiwan), Xiang (Hunan), Jin (Shanxi) e Gan (Jiangxi).

Aulas aos sábados, das 9h às 11h
Módulo inicial com 35 horas de aula, sendo 2 horas-aula semanais, com duração de um semestre.